Webmail
Atendimento: (42) 3622-2000
Facebook Faculdade Guairacá
Instagram Faculdade Guairacá
Youtube Faculdade Guairacá
Twitter Faculdade Guairacá
Faculdade Guairacá
Os riscos da automedicação, por Daniel Brustolin
Os riscos da automedicação, por Daniel Brustolin

Daniel Brustolin Ludwig
Graduado em Farmácia com Habilitação em Indústria pela Universidade Tuiuti do Paraná
Especialista em Homeopatia pelo Instituto Tecnológico Farmacêutico do Paraná
Especialista em Tecnologia Farmacêutica e Cosmecêutica pelo Instituto Tecnológico Farmacêutico do Paraná
Especialista em Farmacologia Aplicada à Atenção Farmacêutica pela Equilibra Instituto de Capacitação e Especialização
Especialista em Farmácia Magistral pela Equilibra Instituto de Capacitação e Especialização
Mestre em Ciências Farmacêuticas pela Universidade Estadual do Centro-Oeste
Doutorado em andamento em Química pela Universidade Estadual do Centro-Oeste

 

Uma das principais causas de intoxicação na população de um modo geral é o uso incorreto de medicamentos, destacando-se a automedicação, que por conceito, consiste no ato de utilizar medicamentos por conta própria para o tratamento de doenças ou possíveis doenças, mas que não passaram pelo diagnóstico de um profissional da saúde habilitado para esta função, por exemplo, médicos e odontólogos.

A indução à automedicação ocorre frequentemente por incentivo de familiares, amigos e vizinhos, que contam o bom resultado de um tratamento, bem como, por propagandas veiculadas nos meios de comunicação, fazendo parecer que estes medicamentos que não necessitam prescrição ou que foram prescritos de maneira individualizada, não causam efeitos indesejados ou possíveis intoxicações, o que não é verdade.

Outro aspecto bastante importante, quando o assunto é automedicação, está relacionado com a utilização de fitoterápicos, ou seja, os medicamentos derivados de plantas. Por serem produtos naturais, muitas pessoas acreditam que não possuem efeitos indesejados, utilizando-os de maneira indiscriminada e sem a informação adequada, podendo estes fitoterápicos estar na condição de tão perigosos quanto ou até mais que os medicamentos sintéticos.

Portanto, para obter-se informação confiável sobre a correta utilização de medicamentos, seus riscos e particularidades e evitar a automedicação, deve-se buscar o auxílio de um farmacêutico, o profissional do medicamento. Este profissional poderá auxiliar com todas as informações necessárias e também orientar a pessoa na busca de profissional habilitado em outras áreas da saúde caso seja necessário.

Lembre-se! Até mesmo o “chazinho da vovó” pode trazer problemas. Consulte sempre seu farmacêutico!

Rua XV de Novembro, 7050 - Centro | 85010-000 | Guarapuava-PR