Webmail
Atendimento: (42) 3622-2000
Facebook Faculdade Guairacá
Instagram Faculdade Guairacá
Youtube Faculdade Guairacá
Faculdade Guairacá
Cuidado farmacêutico: uma prática clínica possível, por Lígia Pedroso
Cuidado farmacêutico: uma prática clínica possível, por Lígia Pedroso

Prof. Dra. Lígia Santos Pedroso
Graduada em Farmácia pela Universidade Estadual do Centro-Oeste
Especialista em Farmacologia Básica e Clínica pela Universidade Estadual do Centro-Oeste
Mestre em Ciências Farmacêuticas pela Universidade Estadual do Centro-Oeste
Doutora em Química pela Universidade Estadual do Centro-Oeste

 

Atualmente, os modelos de assistência à saúde passam por transformações, assim como a profissão farmacêutica. Há uma mudança importante de paradigma, o qual o medicamento passa a ser considerado como insumo estratégico e o paciente como foco principal (PRATA et al., 2012).

A Resolução Nº 585, de 29 de agosto de 2013, respalda as atribuições clínicas do farmacêutico relativas ao cuidado à saúde, sendo responsável pelo desenvolvimento de uma farmacoterapia que prioriza a necessidade, a efetividade e a segurança do tratamento para o paciente de forma a minimizar os problemas relacionados ao uso de medicamentos como intoxicações, reações adversas, interações medicamentosas, entre outras, e ampliar a adesão ao tratamento (CFF, 2013).

O processo de cuidado busca aplicar o conhecimento para promover o bem-estar dos pacientes, ensinando-os a cuidar de si mesmos. Neste contexto, temos a Atenção Farmacêutica, uma prática que se baseia em ações pró-ativas que previnem insucessos na terapêutica do paciente e contribui para o controle de morbidade e mortalidade relacionada ao uso de medicamentos (SANCHES, 2017). Os aspectos práticos da Atenção Farmacêutica envolvem educação em saúde, dispensação e orientação farmacêutica, consulta farmacêutica e acompanhamento da terapia medicamentosa. Todas estas atividades devem ser registradas, mensuradas e avaliadas (CFF, 2013).

A prática do cuidado ao paciente busca o vínculo entre o profissional farmacêutico e o paciente de forma a desenvolver o compromisso para que o paciente participe de forma ativa da farmacoterapia, identificando suas reais necessidades afim de melhorar sua adesão e comprometimento com a sua saúde.

Diversos projetos nesta área têm sido desenvolvidos no país, demonstrando resultados significativos quanto a promoção da qualidade de vida dos pacientes portadores de doenças crônicas,  conscientização da população quanto aos riscos da automedicação assim como a corresponsabilidade pelo sucesso da farmacoterapia, sensibilização de outros profissionais de saúde no trabalho multidisciplinar além de uma base de dados promissores para aprimorar a prática do cuidado farmacêutico (PRATA, 2012; MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2014; HUSZCZ et al., 2018; SANTOS, 2018). Sendo assim, o profissional farmacêutico tem um papel relevante, estratégico e fundamental para promover saúde e cuidado.

Rua XV de Novembro, 7050 - Centro | 85010-000 | Guarapuava-PR